Local: Biblioteca da Escola Secundária José Estêvão, Avenida 25 de Abril, 3811-901 Aveiro

Local: Biblioteca da Escola Secundária José Estêvão,
Avenida 25 de Abril, 3811-901 Aveiro

Ref:

FNZTAVRMC-PT#0457

Título + número de edição

NÉSCIO, REVISTA PORTUGUESA DE IDÂIAS

Capa:

Ref:

FNZTAVRMC-PT#0457
NÉSCIO, REVISTA PORTUGUESA DE IDÂIAS2024-05-12T22:06:58+00:00

Título + número de edição

NÉSCIO, REVISTA PORTUGUESA DE IDÂIAS

Editor/a:

IMPRENSA CANALHA

Autor/es:

Vários

Mês + Ano:

N/A

País:

Portugal

Cidade:

Lisboa

Idioma:

PT

Formato:

A5

Tipologia:

Fanzine

Acesso:

Livre

Descrição:

O projecto Néscio nasceu com o propósito de fazer um exercício gráfico de observação e comentário sobre o quotidiano do país. Esta ideia resultou, sem dúvida, do contexto conjuntural que se vive em Portugal desde a década de 90: a estagnação económica, acentuada pela permanência dos quadros mentais do analfabeto-catolicismo e pela sensação angustiante do "isto não vai lá", têm criado um vazio que se projecta e expande pelos mais variados quadrantes da vida portuguesa. Aquilo a que a crescente ordem dos opinadeiros de jornal (outro sintoma de decadência) chama a "crise identitária". Por outro lado, muitos dos artistas gráficos nascidos na ressaca de Abril e do Prec raramente tratam o país e os seus problemas no seu trabalho, preferindo muitas vezes lidar com a digestão das referências culturais e estéticas das culturas europeia e americana que marcaram a nossa geração. O resultado prova que vale a pena transformar o quotidiano português numa fonte inesgotável de inspiração, tanto no que diz respeito aos conteúdos como às imagens.

Tema:

N/A

Tipo de conteúdo:

Banda Desenhada / Ensaio

Descrição:

O projecto Néscio nasceu com o propósito de fazer um exercício gráfico de observação e comentário sobre o quotidiano do país. Esta ideia resultou, sem dúvida, do contexto conjuntural que se vive em Portugal desde a década de 90: a estagnação económica, acentuada pela permanência dos quadros mentais do analfabeto-catolicismo e pela sensação angustiante do "isto não vai lá", têm criado um vazio que se projecta e expande pelos mais variados quadrantes da vida portuguesa. Aquilo a que a crescente ordem dos opinadeiros de jornal (outro sintoma de decadência) chama a "crise identitária". Por outro lado, muitos dos artistas gráficos nascidos na ressaca de Abril e do Prec raramente tratam o país e os seus problemas no seu trabalho, preferindo muitas vezes lidar com a digestão das referências culturais e estéticas das culturas europeia e americana que marcaram a nossa geração. O resultado prova que vale a pena transformar o quotidiano português numa fonte inesgotável de inspiração, tanto no que diz respeito aos conteúdos como às imagens.

Observações:

N/A

Status de catalogação:

FNZTAVRMC
****
RBCIRA
****
RBMA
****
BESJE
****
Outros

Observações:

N/A

Legenda:

**** :
Catalogação da Fanzineteca de Aveiro - Acervo de Miguel Alexandre Simões Correia
**** :
Catalogação da Rede de Bibliotecas da Região de Aveiro
**** :
Catalogação da Rede de Bibliotecas Municipais de Aveiro
**** :
Catalogação da Escola Secundária José Estêvão